A moto parou ao meu lado e ele agarrou meu braço – 2045

Hoje saí do meu trabalho com as minhas amigas como todos os dias. Ao chegarmos no ponto de onibus percebi que eu havia esquecido minha carteira. Minha colega se ofereceu para pagar minha passagem, mas resolvi voltar na empresa mesmo estando a noite.

Enquanto passava pela rua sozinha alguns caras mexeram comigo. Um, em destaque, estava em um carro e me ofereceu para eu ir para sua casa. Ignorei. Mas quando ele continuou insistindo e me seguindo eu gritei “não sou puta não”. Ele respondeu “mas é gostosa e eu adorei”. Mandei ele tomar no cu e segui meu caminho. Percebi que ele continuava me seguindo, e entrei na empresa rapidamente. Por ser uma área residencial, minha empresa era o único lugar que eu de fato poderia entrar. Esperei 10 minutos e sai. Quando estava no meu caminho de volta um motoqueiro parado começou a me observar. Me distanciei dele e atravessei a rua.

Quando de repente vi a moto perto de mim e o homem agarrou meu braço. De alguma maneira consegui tirar meu braço e sai correndo chorando até o final da rua, onde dá para uma avenida movimentada. Senti minhas pernas doendo muito depois. E fiquei com muito medo. Agora estou super arrependida de ter voltado. Me revolto com esse mundo em que uma mulher não pode nem se quer andar sozinha na rua porque esqueceu algo em seu trabalho. Há sempre o risco de um estupro.