Fui assediada dentro do metrô e o agente do metrô me culpabilizou do assédio – 2073

Este relato não é atual. é de outubro de 2015

Ontem, ao voltar de uma aula, por volta das 23hrs, uma amiga me deixou no metro república, assim que eu entrei, percebi que um cara começou a me olhar incessantemente; apertei o passo e ele começou a me seguir, entrei no metrô e ele sentou ao meu lado, tentando uma aproximação, sai de perto e fui pra porta, ele foi atras e ainda passou a mão no meu cabelo, como se fizesse carinho, poderia ter sido na minha bunda, teria o mesmo efeito de gerar pânico em mim; foram 3 estações, fui fugindo como pude; quando cheguei á estação fradique, a porta se abriu e eu sai correndo, nunca corri tanto na minha vida, perto da saída avistei um agente do metro, pedi ajuda, disse que tinha um homem me seguindo, pra minha surpresa, o agende diz “também, olha como você está?” (eu estava de macacão curto, em um calor dos infernos que fez em SP ontem), eu disse que ele não podia falar assim comigo, ele me mandou ir pra casa que ele interviria com o cara que estava me seguindo. Pela segunda vez, eu corri como se minha vida dependesse de atravessar as duas quadras que separam o metrô da minha casa! Eu senti medo, impotência, horror e raiva, tudo absolutamente misturado… O meu cabelo não é de domínio público para ser tocado por quem quer que seja que não tenha intimidade comigo, e a minha roupa diz respeito a mim, eu poderia estar nua, e ainda assim, ele não tinha o direito de decidir me ter.