333

333 – “Ontem fui num bar de rock com minhas amigas e estávamos todas bebendo e curtindo a banda que estava tocando. Uma hora eu e a garota que eu estava interessada subimos para o andar de cima aonde tem tipo de uma “baladinha” com DJ. Lá nós começamos a dançar e nos beijar, quando um ser se coloca do nosso lado e começa a falar “Pode parar, ele já saiu daqui.” Como se estivéssemos fazendo algo para chamar a atenção de algum homem. Mostrei o dedo sem olhar na cara dele. Depois de falar isso mais algumas vezes, soltou “E eu não vou ser chamado para participar, não?”. Não consegui me segurar, parei, olhei na cara dele e disse “Dá para respeitar os outros? Dá para deixar a gente em paz? Ou você quer um soco na cara?” e meti um tapa na cara dele. Nisso, ele pegou minha mão e começou a querer torcer meu braço vindo para cima de mim gritando “Porra, eu nem coloquei a mão em você, o que você ta fazendo, porra?!” Nessa hora me deu medo. Eu pensei mesmo que ele fosse me bater, mas eu não fui para trás, encarei-o de frente “Você vai me respeitar ou não, porra? Vai se f*der, seu merda!” Ai um amigo dele chegou para separar tudo e “acalmar” o serzinho. Peguei minha amiga e descemos para baixo, só voltamos quando tivemos certeza que o cara já tinha saído de lá de cima. Senti nojo e até agora to sentindo meu pulso doer. ”  Anônima – 17 anos.