354

354 – “Olá, gostaria de relatar um caso que vivenciei agora há pouco. Acabei de tomar uma atitude que para mim requer muita coragem; estava eu passando em frente a uma obra e os pedreiros da mesma começaram com aquelas “cantadinhas” :”Ôh morena, ai lá em casa, gostosa…” Aí um engraçadinho perguntou: “cê não responde, é muda?”. Neste momento parei na frente deles e disse: “vem cá, vocês são pagos pra trabalhar ou pra ficar assediando mulheres? Vão trabalhar bando de vagabundos!” e o demô diz: “olha ela é bravinha”. Não me contive e fui dentro da obra (onde trabalham mais de 30 homens), chamei o responsável de lá e disse: “Bom dia, senhor. Toda vez que passo aqui seus funcionários ficam me assediando com palavras obscenas do tipo “gostosa”… Se isso não parar aqui vamos resolver numa batalha judicial, eu e outras mulheres queremos nosso direito de ser respeitadas e andar tranquilamente nas ruas sem ter que ouvir esses insultos!” Então ele me pediu desculpas, tremendo, com tom de voz baixo e educado; sim ele ficou com medo que eu vi.”