355

355 – “Olá, meu nome é Suzana, tenho 16 anos e hoje fiquei orgulhosa de mim, mas ao mesmo tempo, tive muito, muito medo. Tinha acabado de sair do ônibus, eram mais ou menos 19:30, eu estava com meu amigo, mas ele mora em outra rua, então atravessamos juntos e nos despedimos. 5 segundos que virei as costas pra ele, já estava na esquina de casa, e um CRV preto passou por mim, “slow” e os dois caras que estavam no carro ficavam fazendo “psiu” e falando muita escrotice pra mim, de princípio ignorei, mas quando continuaram com o “psiu”, mandei tomarem no c*. Sim, é feio uma menina da minha idade falar, mas aquilo me deixou irada. Até que eles desceram a rua da minha casa, e eu achei que eles iam embora, mas pararam no meio da rua, como meu condomínio não estava tão longe, atravessei a rua para qualquer efeito, ir correndo para lá. E eu passei por eles, como se não tivesse visto, e o motorista falou assim “Você é boca suja hein” e eu mostrei o dedo do meio, e ele “Precisa de uma pi** de sabão” e eu “É, pena que você não tem, otário” (nisso eu andando), daí ele começou a andar com o carro e falou “Vai tomar no c*, babaca” e eu “Passa reto imbecil” daí ele acelerou e saiu em disparado e falou “Biscate” e eu gritei um belo “Se f*der” e entrei correndo no meu condomínio.  Eu senti MUITO medo, mas muito medo mesmo, mas quando comecei a me acalmar, me senti orgulhosa de mim. Odeio esse tipo de idiota, e por conta deles eu ando com um canivete que está sempre à mão, mas hoje ele estava na mochila, afinal pensei “Estou com meu amigo e minha casa é ali do lado, não vai acontecer nada nesse trechinho”. Foi puro engôdo.  Mas isso me deu força, foi a primeira vez que respondi, pois antes tinha muito mais medo e por ter sido minha primeira vez, eu me senti aliviada por ter conseguido dar conta disso.  Podem me julgar “errada” por ter falado tanto palavrão, mas fala sério, aqueles babacas mereciam!”