A cada esquina que eu chegava ele já estava lá se masturbando e esperando por mim – 2043

Bom, não foi bem um caso de cantada… é pior. dia 29 de julho em Barão Geraldo por volta das 14 horas fui na República de uma amiga, fiquei lá uns 40min e resolvi voltar pra casa. ( Todo o caminho foi feito pela mesma rua ) Tinha andado poucos metros quando percebi um cara em uma moto CG preta 125 ou 150, com jaqueta preta, capacete preto e óculos escuro me olhando, apressei o passo e vi uma senhora sentada na calçada de uma casa e me senti feliz em ver uma presença feminina, mas não falei nada pra ela, pois não tinha certeza do que estava acontecendo, no entanto comecei andar bem devagar por não querer me afastar muita dessa mulher, não vi mais o cara, respirei aliviada e me afastei da senhora.

Foi então q ele surgiu em uma esquina e reparei que ele estava batendo punheta olhando fixamente pra mim. Um misto de nojo, revolta e medo tomou conta de mim, comecei a caminhar rápido, pois não tinha ninguém na rua, mas o cara parava em toda esquina e começava novamente aquele ato nojento, quando atravessei a avenida 1 vi uns pedreiros e gritei que aquele cara estava batendo punheta, cara sumiu os pedreiros falaram para ficar um minuto lá.

Passou um tempo resolvi seguir meu caminho mesmo estando com medo, dois quarteirões pra frente lá estava o cara batendo punheta, mas dessa vez fazendo sinal para eu não gritar… O desespero tomou conta de mim, já estava com vontade de ir pra cima desse cara… dar um soco nele, mas parava e pensava que ele poderia fazer alguma coisa caso eu chegasse perto, visto que ele era mais forte que eu. Liguei para a polícia… mas o cara me seguiu até a esquina de casa. Nesse momento estou sentindo nojo, muito nojo e toda vez que a imagem vem a minha cabeça… sinto raiva, ódio e uma revolta enorme!!!