“a moça tá com frio, Pedro. Vai lá dar um abraço nela” – 607

607 – “Estava de noite numa rua movimentada da minha cidade esperando uma amiga quando passou um casal junto com um cara sozinho. O acompanhado falou pro amigo com sarcasmo “a moça tá com frio, Pedro. Vai lá dar um abraço nela”. E ficaram me olhando como se eu fosse uma coisa, esperando eu mostrar algum sinal de necessidade de afeto. A raiva foi tanta que eu só consegui olhá-los com ódio. Mas a mensagem pra quem se comporta assim é: eu não estou com frio e não preciso do abraço de um mané, ainda mais sob ordem de outro mané.”