“ahh, eu com esse bucetão.. hein?!” – 832

832 – “Olá, vi essa pagina e adorei! Sobre o ultimo post, foi que mais identifiquei, pois tambem sinto meu coração na boca quando respondo, as vezes fico pensando mil coisas para falar, mas nao sai nada, pois irei contar um caso, que morro de vergonha e de odio.
Sou alta, grande, muito encorpada e adimito que chamo a atenção pelo biotipo e isso me mata sempre. Escuto aqueles piores assédios de homens mais baixos e “sujos”.
Ultimamente tenho ouvido algumas violências, do tipo “te colocar a piroca, tocar punhata… e o que mais odeio Bucetão, e coisas afim” Me sinto totalmente impotente e com um odio incrivel, e com base nisso vou contar um caso que me ocorreu e me lavou a alma.
Ja cansada de ouvir esses absurdos, um dia que acordei com o pavio curto para essas coisas, coloquei a roupa para malhar e fui para a academia. Morrendo de medo de escutar algo do tipo. As vezes penso, que absurdo eu me vestir para ir cuidar do meu corpo e minha saude e sentir medo.. mas enfim.. Saindo da academia, ja proximo a esquina da minha casa passou um homem por mim, fazendo AQUELA cara “nojenta” e disse algo, que não ouvi.. respirei fundo, e me enchi de odio quando vi que ele parou na esquina e ficou me esperando passar para repetir aquilo que ele percebeu que eu não ouvi. Quando passei por ele, ouvi “ahh eu com esse bucetão.. hein?!” E quando ele ja saia feliz pela “cantada””, voltei e perguntei? Oi? Voce falou comigo?? Volta aqui que vou dar-lhe na cara!! Cuidado que mando te matar hoje mesmo.. e blá blá bla.. o odio foi subindo e explodindo dentro de mim.. o coração ja na boa senti todo corpo esquentando enquanto ele corria e arregalava os olhos de tanto susto!
Falei muito e muito alto.. a raiva de tudo que escutei até aquele dia descontei, deixei a raiva extravazar e me senti QUASE satisfeita, so ia ficar feliz depois de serrar-lo ao meio para garantir que ele nunca mais ia fazer isso com ninguem, mas no fim, o susto ja foi grande e me senti feliz.
Depois disso, continuo respondendo.. infelizmente não é sempre, as vezes estamos distraídas, não esperamos isso e passa batido!

É uma situação abusiva, que so de pensar fico com uma raiva muito grande. Sou a favor de todas tomarem alguma atitude, não baixem a cabeça, não aceite.. Isso não é SÓ uma cantanda, é uma violência!”