buzinou olhando pra mim com aquela cara nojenta – 803

803 – “Eu tenho 14 anos, meu corpo é muito desenvolvido e isso desde muito tempo tem me feito passar por situações completamente constrangedoras na rua. Situações que me fizeram sentir vergonha de mim mesma, situações que me deixaram com nojo e me fizeram sentir como um objeto sexual andando pela rua.
Como de costume, eu estava indo ao meu treino de vôlei. Estava com a blusa da minha escola, shorts de academia, joelheira e tudo mais. Enquanto eu estava subindo a rua até o ponto de ônibus, um homem estava dirigindo na mesma direção em que eu estava andando. Ele teve a capacidade de parar o carro na esquina e buzinar olhando pra mim com aquela cara nojenta que todas sabem. Depois disso, ele deu a volta no quarteirão e parou no ponto onde eu estava: desceu o vidro do carro, olhou pra mim dos pés a cabeça e perguntou: “a onde você vai, quer ir ao terminal?” Eu fiquei apavorada e apenas respondi: Escola. Ele foi embora e no caminho encontrou minha amiga, e fez a mesma coisa com ela: olhou com aquele jeito nojento.
Essas coisas me deixam completamente com raiva, com nojo e com medo. Sabe, desde muito cedo eu não consigo atravessas a avenida sem ser o foco do trânsito e sem receber nenhum tipo de comentário ou atitude nojenta.
Eu sou completamente a favor do feminismo, vocês não tem noção do quanto essa união me faz bem e me faz crescer. “