Cantada 045

Damilla Mares Almeida Maia 45 – Então, não é um relato de alguém que foi constrangido/apalpado/etc … Na rua da minha casa tava tendo uma construção e toda vez que eu passava lá os pedreiros mexiam comigo. As coisas de sempre, ”que delícia, hein” ”grandona ela…” etc etc  Um dia eu cansei, vi quem parecia ser o mestre de obras e falei com ele o seguinte: Olha, tá me incomodando, minha casa é aqui do lado e eu quero passar na rua com a roupa que eu quiser e é melhor eles pararem. Resolveu.  Eu entendo que quando a gente é mais nova [assim, criança e adolescente] fica meio em choque quando algo do tipo acontece porque apesar do nariz em pé, a gente não sabe o que fazer. Mesmo adultas, o susto/choque/medo é tão grande que você congela, não sabe o que falar e o seu orgulho, que antes tava mudo, volta com tudo depois pra te dar raiva… pra você se sentir um lixo porque o cara passou a mão/pegou/falou como e o que quis.  Pois bem, meninas… não é assim não. O cara pode pensar o que ele quiser, ele não pode é falar ou fazer. E se você bater de frente? [eu mesma já mandei mta gente calar a boca na rua] Tá com medo do cara te bater? Pois te digo uma coisa… a maior parte COMEÇA como quem não quer nada pra saber se dá em alguma coisa. Se sentiu fraqueza, vergonha ou falta de atitude, isso é como se fosse um convite pra ser mais ousado/folgado  Não digo que todas as situações teriam sido evitadas se a mulher batesse de frente, mas digo que é pra deixar claro pro cara q se for mesmo tentar fazer alguma coisa, que você não tá gostando, não autorizou aquilo e vai fazer de tudo pra que ele pare na hora ou sofra as consequências depois.  O corpo é seu. Você só se sente um lixo quando sente que alguém mandou mais no seu corpo que você.