Cantada 060

Rô Fernandes Absalão 60 – Lembrei de outra dentre tantas. Eu chegava de uma cidade próxima daqui, comprei um churros, pois sentia muita fome e tenho hipoglicemia. Entrei no ônibus e me deparo com um engraçadinho com uma lata de cerveja na mão, se achando o gostosão. Ele se levantou, se aproximou de mim e disse: “gata, me dá um pedaço?” (queria aparecer, pagar de garanhão para os amigos). Eu respondi: “Não! Nem te conheço, vai comprar!” De gata passei a feia, bagulho e muitas humilhações para até quem não quisesse ouvir. Não muito contente, ele se reaproximou para continuar as ofensas. Peguei meu celular e disse: Se você continuar me incomodando, eu chamo a polícia agora pra você. E olha, se seu feia pra você, saiba que não te achei nada bonito. Ele continuou a se desfazer de mim. Eu comecei a discar o número da polícia. Os amigos deste traste viram que eu estava falando sério, o pegaram pelo braço e desceram do ônibus com ele. É cada uma que parece inacreditável. A gente passa por essas coisas sem pedir ou provocar. Eu tinha 24 anos de idade.