Cantada 079

79 – Quando eu tinha 12 anos, lembro que meu pai tinha um amigo (na época, ele tinha 26 anos), era casado mas não perdia a oportunidade para me cantar. Desde o primeiro assédio, este homem não podia me ver mais afastada das pessoas que se aproximava, dizendo coisas horríveis pra mim. Comecei a ter medo dele e detestava quando ele nos visitava, tomei verdadeiro nojo da cara dele. Tentei explicar para minha mãe, mas ela não levou muito a sério. Do jeito que ele me assediava, tenho certeza que se estivesse sozinho comigo, me violentaria. Do lado da esposa, ele colocava a mão no rosto e dizia palavras nojentas, bem baixinho pra mim. Ainda bem que não é mais “amigo” da família. Olhar para este cara de novo me faria muito mal. Não foi cantada de rua. Foi cantada de “amigo”.   Desculpe pelas inúmeras coisas que conto, mas de fato aconteceram. Nem mais, nem menos.   Um abraço, obrigada. Belo espaço, ótima idéia!  Rô