Cantada 086

86 – Tenho 19 anos e namoro uma garota. Certa vez, no começo do ano, eu e minha namorada estávamos num barzinho. Tocava música, nós dançávamos e conversávamos com outros amigos. Estava abraçada nela, dançando devagar quando eu resolvi levantar o rosto e me deparei com um grupo de garotos um tanto distantes, rindo, enquanto um deles tentava alcançar a bunda de minha namorada. Viram que eu os olhava incrédula e se afastaram ainda rindo. Ela me perguntou porque eu tinha parado de dançar e eu não respondi, disse que estava vendo meu cabelo no espelho alí atrás. Continuamos dançando e eu não conseguia mais me desligar das pessoas que não conhecia. Eu procurava em meio às pessoas os garotos que eu vira. Algumas vezes eu cruzei os olhares com eles e eles tentavam fingir que minha expressão de desgosto não era com eles. Mais tarde, nós estávamos mais a vontade de novo, perto de nossos amigos, conversando baixinho com os rostos próximos quando um daqueles garotos veio. Bêbado, tropeçando e se enfiando entre nós. Nos abraçou e disse algo como “vim participar”. Eu dei um soco muito leve(quase um empurrão de punho cerrado) para que ele se afastasse. Eu estava muito nervosa. “Porque você fez isso?” ele perguntou com a voz embriagada e indignada. Eu respondi que se a gente quisesse um garoto conosco, nós já o teríamos. Ele não era bem vindo ali. Ficou ofendido e foi embora, puto da vida conosco. Não aproveitei mais a festa e não consigo mais dançar tranquilamente com a minha namorada em nenhuma outra que veio.  Odeio quando tentam me impor que eu preciso de um homem. Odeio quando acham que nós somos filmes pornôs em 4D.  V.