Cantada 154

154 – Bem, eu , como muitas outras mulheres, passo diariamente por diversos tipos de assédio, porém hoje, vou citar um que me chocou profundamente e aconteceu quando eu tinha apenas 14 anos.  Na época dos meus 14 anos, eu estudava de tarde e sempre pegava ônibus pra ir e ir e voltar da escola. Sempre que eu pegava o ônibus, eu sentava na janela, gostava de olhar pela janela e ficar envolvida nos meus pensamentos, sem puxar muito assunto, muitas vezes nem percebia que tinha alguém sentado ao meu lado. Certa vez, voltando pra casa, estava eu sentada, sonhando acordada pensando nas minhas coisas de adolescente, comecei a me sentir exprimida no banco, senti um incomodo forte por estarem invadindo meu espaço e pensei ” Nossa, porque essa pessoa tem que sentar e abrir a perna de tal maneira, que eu não consigo nem mover do meu lado do banco?”.. Fiquei nesse conflito interno, resmungando calada, mas continuei sem olhar, até que a pressão do joelho da pessoa na minha coxa começou a ficar maior, e eu me virei pra pedir pra pessoa se afastar um pouco, ou algo do tipo , porém quando virei, vi um senhor já de idade, com uma pasta azul, em cima das suas partes intimas, o zíper aberto e ele passando a mão no seu pênis. Nossa… eu fiquei aterrorizada, sem reação. Não sabia o que fazer, fiquei paralisada, me deu medo, e o ônibus estava lotado!! Eu não conseguia crer que aquilo estava acontecendo, até que num impulso, eu levantei sem olhar pro lado, ele me deu licença e eu fui reclamar com o cobrador, quando cheguei ao cobrador, falei quase sem voz, tremendo ” Moço, aquele senhor estava se masturbando ao meu lado” a reação do cobrador e de um homem que estava conversando com ele não poderia ser mais decepcionante, ele e o amigo riram na minha cara, e não disseram nada, e quando olhei pra trás, o senhor já estava descendo num ponto.  Foi horrível, e eu me senti uma estúpida por não ter tido uma reação mais forte do simplesmente tremer e falar pro cobrador o que aconteceu. Eu não entendo até hoje o porque fiquei paralisada, porque não dei um soco na cara, não gritei pra que todos vissem o que tava acontecendo, não o empurrei.. DEIXEI ELE SAIR ILESO DISSO!!!  Não entendo o que aconteceu comigo, sempre fui muito corajosa, sempre enfrentei tudo, mas aquilo que me aterrorizou, me deixou em pânico.  Cheguei em casa, conversei com minha mãe e irmãs, elas acharam horrível, mas, não deram muita importância. Uns meses depois aconteceu quase que a mesma coisa com a minha irmã e ele ficou em choque. Mas com ela o cara sentou na frente e puxou assunto falando da família, começou a mostrar fotos dos filhos e tudo, e começou a pedir muitas desculpas, minha irmã não estava entendendo nada, até que ele gozou na janela. Ela comentou com amigos e eles riram… Não entendo a graça que as pessoas enxergam nessa situação.  Conversando com amigas, vi que essa situação é bem corriqueira, espero que ninguém passe por isso, mas se passar, espero que tenha alguma reação e não deixe esse animal em puni, como infelizmente eu e minha irmã os deixamos.  Elaine Geissler.