Cantada 182

182 –         “Conheci a página hoje e gostaria de compartilhar uma coisa que aconteceu comigo. Gostaria que meu nome fosse omitido.          Quando eu tinha uns 18 anos estava voltando pra casa de noite e um estranho chegou pedindo informação. Ele era jovem, devia ter a mesma idade que eu. A idiota aqui sabia o endereço que ele queria e parou pra dar a informação. No meio da conversa, ele veio pra cima de mim e tentou enfiar a mão por baixo da minha saia. Em seguida saiu correndo. Minha reação foi pegar a pedra mais próxima e jogar nele. Por sorte, acertei as costas do cara com a pedra. Voltei pra casa correndo. Esse foi o caso mais grave de assédio que recebi. Hoje, recebo cantadas na rua e XINGO o agressor em voz alta, para que outras pessoas percebam o que está acontecendo. Sei que não vai mudar nada, mas me sinto melhor do que ouvir essas coisas calada. Um abraço.”