Cantada 188

188 –  “Gostaria de contar uma história que aconteceu hoje.  Eu estava no metrô hoje de manhã, num horário em que fica muito lotado. Entrei no vagão espremida junto com as outras pessoas e fiquei ao lado de uma moça de vestido, praticamente encostada nela. Atrás de nós tinha um homem, também muito perto, mas isso era inevitável pq o vagão estava muito cheio. Passadas duas estações, o trem parou em uma onde desce muita gente e esvaziou um pouco, mesmo que ainda estivesse cheio. Reparei que, embora aquele homem tivesse espaço pra se afastar da moça de vestido, ele continuava grudado nela, meio se esfregando e a moça parecia muito desconfortável. Como ela não fez nada, resolvi fazer eu:; falei bem alto pra todo mundo ouvir: “Que feio, cara, para de se esfregar na moça.” Todo mundo olhou pra ele, que obviamente ficou muito envergonhado. O olhar de gratidão da moça me fez ter a certeza de que eu tinha feito a coisa certa.  Eu sei que muitas vezes não tem ninguém que possa ajudar por perto, mas outras muitas, tem. Se eu aprendi uma coisa lendo todos esses relatos da página é que, sempre que possível, as mulheres devem defender umas as outras. Se a gente não lutar por nós mesmas, quem vai?”  Samira