Cantada 241

241 – “Eu desisto da vida, da liberdade e de ser feliz. Hoje meu irmão mais novo fez uma piada sobre estupro, eu tentei me controlar, apenas fugir dali e conversar com ele racionalmente, mas surtei. E no meio do surto falei ‘eu fui’ e mandei ele sair do meu quarto. Ele me chamou de louca e apenas saiu e continuou sua conversa com seus amigos no outro quarto como se nada tivesse acontecido. Agora estou destroçada, pensando apenas naquela voz falando comigo enquanto eu estava semi-inconsciente, não lembro seu rosto, não sei seu nome, mas nunca esquecerei aquela voz. Não houve penetração, tento pensar que outras mulheres seguiram em frente por bem mais que isso, mas eu simplesmente não consigo. Quase tive um segundo ataque de pânico na rua essa tarde e é por isso que desisto. Não consigo ser mais eu mesma, alguma coisa em mim se perdeu para sempre. Só quero morrer, mas não tenho coragem.”