Cantada 288

288 – “Uma história de 2007, quando eu estava no primeiro ano: Estudava em uma escola pública. Um professor de física tinha um comportamento muito nojento com os alunos, daquele jeito que nós percebemos quando alguém tem má intenção. Acariciava o cabelo das alunas. Ele dava tratamento especial às meninas, e sempre que conversava tinha que encostar a mão em nós. Ele fazia diversas declarações estranhas, como uma vez, em que uma aluna entrou em sala de aula, ele parou tudo que tinha feito e disse alto, no meio da aula: “HMM… Que delícia, em? Depois disso, como não fico no 5×1?”. Sem contar os diversos “elogios” que ele fazia aos nossos corpos, que eram constantes. Todas as alunas tinham medo de ficar sozinha perto dele. Contei isso à minha mãe sem muitas pretensões. Ela ficou revoltada, e por ser amiga da diretora do colégio, contou tudo. Que entrevistou algumas alunas e demitiu o professor. Me lembro que ele fez um discurso hipócrita de despedida, chorou, falando que o “carinho” que ele tinha por nós tinha sido mal interpretado por pessoas cruéis e pediu um abraço para cada um dos alunos, dizendo que quem quisesse encontrá-lo, ele estaria sempre com as portas abertas (e escreveu o número dele no quadro)… A questão é: Mesmo que todas as meninas tivessem medo, NENHUMA de nós pensou em denunciar, eu falei pra minha mãe sem imaginar que geraria alguma consequência pra ele. Precisamos ser mais críticos, precisamos denunciar mais, precisamos nos defender mais quanto a esse tipo de coisa, assim como ensinar aos nossos filhos a ficar atentos a esse comportamento e contar aos adultos, não deixemos nada passar em branco!”
O supra sumo da apologia ao assédio de rua: a música do Michel Teló – Vamos analisar? Não é exatamente o tipo de coisa que a gente abomina? ************************* Nossa, nossa Assim você me mata Ai, se eu te pego, Ai, ai, se eu te pego Delícia, delícia Assim você me mata Ai, se eu te pego Ai, ai, se eu te pego Sábado na balada A galera começou a dançar E passou a menina mais linda Tomei coragem e comecei a falar Nossa, nossa Assim você me mata Ai, se eu te pego Ai, ai se eu te pego Delícia, delicia Assim você me mata Ai, se eu te pego Ai, ai, se eu te pego ***********************