Cantada 291

291 – “Vou contar meu caso,o que me estranha é que nem eu esperava pela minha reação.  Eu estudo à noite,e certa vez na hora da saída,por volta de 23hs, eu e minha namorada estávamos indo pra casa,sempre acompanho ela por ser caminho da minha casa também. Logo na esquina da escola tinha 3 garotos de bicicleta (um deles estuda no meu colégio), nem preciso dizer que mal viram nós duas já começaram a comentar entre si, e com aqueles olhares nojentos,e então eles saíram de bicicleta no caminho que nós teríamos que fazer (uma avenida em linha reta), por uns segundos fiquei feliz por acharem que iam embora, puff! Deram umas pedaladas e uns deles fingiu que a corrente da bicicleta tinha caído,aí pararam todos, obrigando nós duas a passar por eles,quando passamos começou a sessão de “Oi meninas” “Nossa heeein” “Aquela ali é linda” e blábláblá. O que realmente me irritou é que eles começaram a nos seguir bem do lado, andando devagar, e comentando sobre nosso corpo,perguntando nosso nome, se tinha namorado. A cada vez que um abria a boca pra falar esse tipo de coisa,minha raiva ia aumentando mais ainda, eu respirei fundo, parei,e dei um soco tão forte no MEIO do rosto de um deles, a ponto de sangrar o nariz. Alguns segundos reinou um silêncio absurdo, acho que eles não esperavam por isso, só me olhavam com cara de assustados. Eu virei as costas e falei pra minha namorada andar. Eles ficaram gritando no meio da rua, perguntando se eu sou louca,que isso não ia ficar assim e bláblá. Acabei indo pra casa dela, ninguém sabe o que poderia me acontecer se eu fosse pra casa sozinha. Eu sei que na hora não pensei nas consequências, no perigo,sei que poderia ter colocado eu e minha namorada em risco, mas realmente só fui pensar nisso em casa.  Só nós sabemos a raiva que sentimos quando isso nos acontece. O garoto que estuda no meu colégio agora me olha e não fala nada, como se nada tivesse acontecido.  Eu conheço o feminismo há um tempo e abomino esse tipo de “cantada”, como sempre fui digamos “esquentadinha” aquilo foi a gota d’água pra mim e reagi dessa forma, o que fico indignada é como alguém se sente no direito de SEGUIR outra pessoa sem conhecer, falar coisas nojentas, comentar sobre o corpo da pessoa. É revoltante.  ”  *Força garotas,juntas somos fortes*