Cantada 294

294 –  “Oi.  O que contarei não é um caso de assédio e talvez não seja tão importante para a página pelo tema principal ser o assédio sofrido pelas meninas. Todos os casos que leio me revoltam muito e de certa forma, me sinto aliviada por isso não acontecer constantemente comigo. Mas nem por isso eu deixo de me sentir ofendida pelas que sofreram tais abusos. Já comigo foi/é completamente o oposto. O meu assexualismo levam as pessoas a pensarem que eu optei ser desse jeito apenas por eu ser “mal-amada” ou que eu não consegui parceiros o suficiente (quando não dizem que ao recusar, estou reprimindo um desejo ou me fazendo de difícil, portanto vadia do mesmo jeito). Eu sempre me senti assexuada e nunca vi problemas com isso antes. Ao que percebi, seria até melhor se eu fosse lésbica e isso me faz concluir que de certa forma, o sexo é tão endeusado que quando você não se gosta de fazer, você deveria ser obrigada a gostar porque isso não é normal.  Aparentemente, não sou bonita e nunca me importei com isso antes. Por consequência disso, desde sempre eu ouço “ofensas” propositais e não as ofensas que eles acreditam ser um elogio. Eu saio ofendida do mesmo jeito e não acredito que se eu fosse bonita, isso mudaria para melhor. Como eu havia dito, eu nunca me importei muito em me embelezar e confesso que ultimamente estou começando a me importar porque eu já não me sinto mais bem como sou por conta de tudo o que ouvi durante minha vida. Mas não deixo de sentir medo das pessoas saberem (eu nunca saí espalhando que optei por nunca fazer sexo por não ver necessidade nisso) porque certa vez eu contei para um colega e ele disse que eu não podia ser assim. E não só disse como depois da confissão, passou a me agarrar, tentando fazer com que eu mudasse de ideia. Não só me sinto no direito de lutar contra todos esses pensamentos que impedem a sociedade de evoluir como isso não precisa acontecer comigo para que eu veja como uma ofensa. Mesmo assim, eu não me considero feminista porque nem todas as questões do movimento estão totalmente claras para mim, mas me simpatizo com a proposta. Parabéns pela sua página porque está permitindo que muitas pessoas denunciem e sejam levadas a sério.  Continue assim.”