Cantada 319

319 – “Primeiro, quero dizer que amo a página. É um local acolhedor, no qual podemos nos entender. Pois bem, sempre detestei essa coisa dos homens não aceitar um não e pensar que estamos de ‘cu doce’. Quando eu tinha uns 19 anos, fui passar uns tempos na casa dos meus tios em outra cidade. Em um dia daqueles, estava na porta da rua com minhas primas e uns amigos delas, um desses caras começou a fazer gracinhas comigo e ficou pedindo pra ficar comigo. Eu recusei, mas ele continuo a insistir. Como ele percebeu que eu não cederia, ele foi se aproximando de mim, com a intenção de me agarrar. As pessoas em volta, só achavam graça. Na época eu estava bebendo alguma coisa, acho que era um refrigerante. Como eu percebi que ele realmente iria tentar me agarrar, eu o alertei que se ele se aproximasse, eu jogaria esse copo nele. Enfim, ele não me levou a sério e continuou vindo pro meu rumo, eu mandei todo o líquido nele. Ele ficou super sem graça e parou de gracinhas. Espero que ele tenha aprendido a ter mais respeito pelas mulheres e saber respeitar quando elas dizem: não.”