Cantada 336

336 – “Hoje aconteceu uma coisa MUITO engraçada, e eu não consegui me controlar, fui lá mostrar pra ele quem era o macho da história. Tava saindo do posto de gasolina a pé, passei por uma oficina mecânica, tinha um carro com um maluco dentro, ”Que buc*ta gostosa hein”. Eu gosto de calças de ginástica, mas calças de ginastica boca de sino por que eu pensei que na cabeça dos neandertais isso não seria tão chamativo. Ledo engano. Quando eu ouvi aquele assédio sexual, a adrenalina subiu a cabeça, já comecei a falar um monte, xingar, ”seu verme, babaca, e se fosse com a sua irmã?” ele respondeu que aí seria problema dela. Eu respondi que era assédio, e ele falou que faria quantas vezes mais ele quisesse, e pro horror dele, o trânsito tava parado. Eu falei ”o que?”, peguei a chave de casa dentro da bolsa e fui andando a direção do carro, e a cara de deboche foi sendo tomada por um pânico. Todo machão na hora de falar, dentro de 1 tonelada de lata móvel que poderia até ter me atropelado, covarde. Arranhei a traseira do carro dele, poderia ter arranhado mais, mas pra quem não tem modo de se defender desse tipo de violência, eu fiz o melhor que eu pude. Não aconselho as garotas e fazerem esse tipo de coisa, até por que tem o risco de ser atropelada, mas se defendam como puderem, e mostrem que não são manequins pra esses semianalfabetos fazerem o que quiserem.”