Cantada 359

359 – “Hoje estava indo a padaria para minha avó, que é praticamente do lado, fiquei pensando que não aconteceria nada desagradável já que o bairro não é muito movimentado.. Grande engano meu, não deu nem 2 minutos um cara de bicicleta e sinto aquele olhar n-o-j-e-n-t-o dirigindo para o meu corpo. Nesse momento tomei coragem e resolvi encara-lo e perguntei se ele tinha perdido alguma coisa. De primeira ele ficou espantado e meio que freou a bicicleta Eis que ele me respondeu com um ar nojento mais uma vez, gesticulando: você é muito linda.. Eu fui tomando coragem, mesmo estando no fundo meio travando e tremendo por bater de frente, pois tinha acabado de ler o relato aqui sobre a menina que enfrentou o homem armado.. Mas prossegui e disse que não tinha dado direito a ele de me olhar daquela maneira, que ele não me conhecia e tinha que ter respeito. Ele disse: Mas eu não acho, são minhas regras.. E eu disse: Mas é o meu corpo. E ele seguiu em frente com a bicicleta logo que eu entrei na padaria. Voltei preocupada pensando se ele daria a volta no quarteirão ou algo do tipo, mas felizmente isso não ocorreu, mas logo depois já veio uma moto buzinando e assoviando para mim e mostrei o dedo. Por mais que tenha voltado nervosa por aquilo, sinto uma pontada de alegria por ter tomado iniciativa pela primeira vez de bater de frente com isso, e isso graças aos relatos que tenho lido aqui na página. Isso dá uma força enorme.”  Yasmin