Cantada 365

365 – “Isso não foi bem uma cantada mas me senti extremamente invadida… Ainda estou um pouco nervosa pois acabou de acontecer. Estava voltando pra casa e passou um homem numa bicicleta olhando pra mim. Ele parou na frente da minha rua como se fosse pra esperar. Fiquei com medo e liguei pra casa pra alguém ir abrir a porta pra mim e quando me aproximei mais ele disse “isso é um assalto!”. Minha primeira reação foi de correr na direção contrária e enquanto andava nervosa ele gritava: “brincadeira, menina! Conheço sua mãe!” e entrou pra minha rua. Quando avistei minha casa, ele estava na porta falando com a moça que trabalha aqui. Eu passei por ele e ele disse de novo que era brincadeira que conhecia meus pais. Acho que não tô tão irritada porque disse poucas e boas pra ele no calor do momento mas fico pensando, esse tipo de homem acha que uma mulher desacompanhada está à disposição pra esse tipo de brincadeira? Se fosse um homem no meu lugar, ele também faria isso? Ele não sabe que essa imagem de homem que assalta/estupra/mata mulheres na rua está presente nos medos da maioria das mulheres desde pequenas? Apesar de não ter sido uma cantada, senti a mesma sensação de desrespeito e de que o outro acha que é ok invadir o meu espaço.”