Cantada 372

372 – “Eu li um caso sobre masturbação e resolvi contar o que aconteceu uns tempos atrás aqui em minha cidade!  Há muito tempo atrás, na minha cidade, rodava um uno vermelho na saída das escolas, nos pontos de ônibus, saída de faculdade e tal. O pessoal começou a estranhar porque o tal uno parava na saída das escolas de um bairro e ficava ali. Quando todas as crianças/adolescentes iam embora, ele ia também. E ele começou a fazer isso nas saídas de faculdade, pontos de ônibus… Sempre quando tinha criança ou mulher sozinha. E aí a cidade começou a comentar né, ficaram com medo e ligaram pra polícia. Ninguém conseguiu localizar o tal uno e parecia que o cara tinha se tocado que alguém tinha chamado a polícia. Ficou um tempo sem rodar por essas bandas. Uns meses depois voltou a acontecer, mas dessa vez pior. Foram 4 ocorridos em uma semana, em que o cara assoviou pra umas crianças, abaixou o vidro e se masturbou na frente delas. Chamaram a polícia mas ninguém tinha pego a placa, porque foram as crianças que contaram, quem viu só viu um carro parado e depois a criançada saindo correndo. Acredito que pelo nervosismo não pegaram, mas enfim. Até que um dia, era de manhã cedo e como a minha rua é meia deserta não tem muita gente no ponto de ônibus. Eu estava ali, sozinha, com fone de ouvido bem distraída esperando o ônibus… E lembro de só me tocar que tinha um carro parado ao lado quando o cara buzinou. Era um uno vermelho, mas na hora eu juro que nem me toquei do ~tarado do uno~. Buzinou e ficou ali parado. Eu pensei sem maldade alguma que devia ser alguém querendo uma informação, fui chegando perto e já falando ”Tais perdido?”. Quando eu olho, era o cara com o p… pra fora se masturbando, gente foi tão nojento, ele olhava pra mim com uma cara horrível, se contorcendo, MUITO NOJENTO. Gritei e voltei pra casa correndo, tava super apavorada. Liguei pra polícia mas eu também pelo nervosismo não peguei o número da placa. A gente fica tão nervosa que só pensa em sair correndo! Deixei meu número com eles se precisasse de alguma testemunha e tal, porque eu tinha visto o rosto do cara, e tudo mais. Eis que no mesmo dia eles me ligaram avisando que o cara tinha sido preso, como? Ele foi na saída de UMA CRECHE, UMA CRECHE GALERA… E mostrou o p… dele pras criancinhas na frente dos pais e tudo! No outro dia ele apareceu na TV local. Advogado, 41 anos, casado, pai de 3 filhos. Escondeu o rosto o tempo todo. A mulher chorava e dizia que ele era inocente. Ficou pouquíssimo tempo preso, pois se comprometeu a fazer tratamento. Na sociedade machista em que vivemos, quem desconfiaria que um advogado, casado, pai, seria capaz disso tudo? ”Quem vê cara, não vê coração”… “