Cantada 381

381 –  “Me aconteceu agora. Eu estava em um bar esperando amigos e se aproxima um cara. Dizendo que sou gostosa e que me imaginava de bruços. E nisso, eu pedindo para ele não me pôr a mão. Ele continuou insistindo mesmo eu dizendo que era lésbica. O máximo que pude fazer foi jogar um copo de cerveja na cabeça dele. E ele partiu pra agressão. Eu estou com as mãos doendo (por defesa) e com um arranhão no braço. Ainda bem que o dono do bar não é machista e o expulsou do bar.  Imagine se não tivesse alguém para me defender, como seria?  As motivações foram duas: 1) machismo. 2) Falta de respeito por eu ter dito que era lésbica. E mesmo assim o crápula continuou pondo as mãos nas minhas pernas e me dizendo essas coisas “maravilhosas”…”