Cantada 391

391 – “Vou dizer aqui algo que começou por volta dos meus 12 anos de idade. Agora tenho 18. Quando eu tinha 12 anos, sempre que voltava da minha escola, um cara da minha rua mexia comigo, usava cantadas tipo ”desse jeito quero voltar à estudar” etc. Eu abaixava a cabeça, pois ficava sem graça, não tinha malícia nenhuma naquela época, ainda brincava de boneca, não havia dado nem o meu primeiro beijo. E esse infeliz, que na época deveria ter os seus 22 anos sempre mexia comigo, e quando se juntava com os amigos, era pior! O tempo passou e ele parou de mexer, só olhava, sabe? Mas ficou sem dar cantadas. Aí, uns 5 meses atrás ele voltou a me cantar, dizer coisas, sempre me olhar em qualquer lugar e me cantar. Eu estava com uma criança de 7 anos me acompanhando, e ainda sim ele me cantou. De dia, a noite, de manhã quando vou trabalhar, SEMPRE que ele me vê, mexe! Comecei a ficar com medo, hoje tenho medo de voltar tarde pra casa, peço sempre alguém pra me trazer, dou volta ao quarteirão. Abaixo a cabeça sempre que passo. Horrível ter medo de andar na sua própria rua, onde você cresceu e foi criada. Horrível mesmo, me sinto péssima. As vezes passo correndo pra voltar pra casa, pois ele já falou comigo como se tivesse intenção de me agarrar. Enfim, deixo aqui um pavor.”