Cantada 399

399 – “Sou mulher e, assim como vocês, já recebi cantadas na rua. A que relato agora aconteceu durante a campanha eleitoral. Eu estava andando apresadamente na rua com óculos escuros e cabelo preso em coque, o que atrapalha um pouco na visualização do rosto. Passei na frente do gabinete de um dos partidos e um homem que estava lá mexeu comigo. Não lembro exatamente o que ele disse, apenas continuei andando e, sem olhar para trás, eu, delicadamente (hahaha), mostrei-lhe o meu belo dedo do meio. Ele gritou “Chuuuupa!” e aquilo me deixou muito nervosa! Resolvi então chocá-lo: virei seriamente, fiz uma voz mais grave e máscula e o respondi: “Chupa você!” Meu objetivo foi atingido, pois pude ver a cara dele de assustado ao imaginar que tivesse acabado de cantar um transexual. Com a ação dele de me cantar e a reação dele ao imaginar que eu, talvez, pudesse não “ser mulher”, só me mostraram, mais uma vez, o quão machista é o mundo em que vivemos!”