Cantada 401

401 – “Vim contar uma vitória pra variar um pouco:  Há alguns anos (não é todo dia, tem épocas que ele está sempre por lá e tem épocas que fica sumido) um cara que vende salgados congelados na esquina da minha rua fica com aquela falsa educação, sempre que passo me dá bom dia/tarde, me pergunta se tá tudo bem comigo de um jeito nojento, cochicha com outro cara… enfim, todas aqui conhecem alguém assim.  Eu sempre olhei pro lado com cara de puta da vida, sacudi a cabeça negativamente, enfim, mas nunca havia confrontado.  Hoje passei pela esquina e ele me perguntou “Tudo bom?” com voz de galanteador. Eu virei pro lado, sacudi a cabeça e bati na perna com raiva. Passei. Fiz o que tinha que fazer e 5 minutos depois voltei pelo mesmo caminho. Ele me acompanhou com os olhos e cochichou alguma coisa pra mim, foi o estopim. Virei bem irritada e falei: -Oi! Você está falando comigo? -Ahn? -Eu passei e você cochichou alguma coisa, quero saber se você estava falando comigo.  -Não, é que você passou, eu te cumprimentei e você não respondeu. -Sim, você me cumprimenta nessa mesma esquina há anos. E há esses mesmos anos eu te ignoro e você insiste. Não me venha dizer que é educação, pois se fosse apenas educação você teria desistido na terceira tentativa, ninguém fica sendo gentil com alguém que não corresponde a troco de nada por tanto tempo!  -Mas eu só queria te cumprimentar! -Não, não queria não, eu sei disso e você também sabe. E mesmo que quisesse, que suas intenções fossem as melhores, se você viu que eu fico irritada com a sua abordagem, se você fosse uma pessoa genuinamente gentil, você teria parado, afinal, você não ia querer me causar incômodo, ninguém que é legal e se preocupa com o outro quer. Então, entende: EU NÃO QUERO TE CUMPRIMENTAR. Eu NÃO QUERO falar “Oi” porque eu não te conheço e não desejo conhecer, logo, eu não quero parar pra bater-papo. A ÚNICA coisa que eu quero é me locomover de ponto A a ponto B sem ser incomodada. Agora ficou tudo claro? E ele respondeu com um risinho irônico, mas visivelmente surpreendido e desconfortável: -Aham, ficou.  Yeaaaaaaaaaaaaaaaaaaaah! \o/ VITÓRIA!”  Julia