Cantada 420

420 – “Olá! Tenho mais relatos sobre esses abusos que nós mulheres sofremos diariamente:  1- Quando tinha 16 anos, saí a pé e bem cedo de casa numa manhã muito fria para ir ao colégio como sempre fazia. Quase no final do caminho 3 caras aparentando ter uns 20 e tantos anos, com jeito de playboy/filhinho de papai passaram por mim e soltaram umas gracinhas como “que linda”,”gostosa”,etc. Me virei pra trás incrédula. Um deles se virou também e ficou rindo, alias todos estavam rindo. Fiquei o dia inteiro de péssimo humor! E sabem como estava vestida? De casaco de moletom,calça jeans e tênis. Bem sexy,né?  Nesse dia aprendi na pele (ou na roupa?) que pra ser abusada não precisa estar nua, semi-nua ou de roupa curta, basta apenas ser mulher.  2- Há 3 anos estava num ônibus voltando para casa. No meio do caminho entrou um cara com jeito desaforado e sem camisa, sentou no fundo do ônibus. Achei uma tamanha falta de respeito entrar ali assim, mas o motorista deixou apesar de ser proibido (duvido se deixaria se fosse uma mulher). Cheguei no meu ponto e me dirigi à porta pra descer. O sujeito estava sentado atrás e quando me viu, puxou o corpo pra frente, fez cara de “quero te comer” e levantou o braço pra bater na minha bunda! Minha visão percebeu o que ia acontecer e eu rapidamente botei o meu braço na frente da bunda e…PÁ!  O infeliz bateu com muita força! Meu corpo foi um pouco pra frente e meu braço ficou dolorido. Se eu não tivesse me protegido, teria caído literalmente de cara no chão da rua. Ia sofrer um acidente feio, pois a porta já estava aberta. Desci, xinguei e mostrei o dedo. Ele deu um beijinho pra me provocar e seguiu caminho ileso,tranquilo… Cheguei em casa tremendo de ódio! Desde então fico com medo de descer de ônibus que tenha bancos atrás da porta.”