Cantada 424

424 – “Olá. Outro dia eu estava passando, e um garoto chamou-me: ‘negona’. Isso ele repetiu algumas vezes, não respondi, pois não reconheci a voz, e nem chamo-me ‘negona’ (apesar de não me sentir ofendida com isso, a depender do tom da pessoa que me chama). Como não olhei, o mesmo chamou-me novamente: ‘puta’…”  Julê Sa  (Pois é, depois dizem que ‘é só ignorar’…)