Cantada 443

443 – “Hoje aproveitei o horário de almoço para ir até a farmácia. Comprei o de sempre, meu anticoncepcional, que é muito mais barato nesta farmácia do que nas outras. Por ser cliente há bastante tempo, eu tenho descontos em alguns produtos e aproveitei pra pegar outras coisas que eu precisava e evitar ter que voltar depois. Entrei na fila com a cestinha de compras na mão, esperando minha vez. Percebi que do meu lado ficava a prateleira com preservativos e como eu já estava lá, aproveitei pra comprar também. Eu não acho que meu namorado seja obrigado a ter sempre com ele, é responsabilidade de ambos. Me abaixei, peguei o produto que eu queria e coloquei junto com o resto da compra. Não se passaram dois segundos e as pessoas que estavam atrás de mim começaram a rir. Não, eu não tinha percebido que eram homens. Por que deveria? “Andróide é uma coisa de Deus né cara” “Putz, a gente registra os melhores momentos” *Gargalhadas* “Eu ainda acho que o Brasil devia adotar as leis do Cazaquistão. Liberdade de mais dá nisso.” Sim, eles tiraram uma foto minha comprando camisinha. Fizeram comentários machistas e defenderam leis que violam todo tipo de direito humano. Geralmente eu respondo, bato de frente, faço escândalo. Hoje eu não tive coragem. É vergonhoso admitir isso, mas é a verdade. Eu acabei de arranjar um emprego, não queria me atrasar, se eu virasse pra discutir ia me estressar e não ia trabalhar direito. Nunca ninguém me defendeu nessas ocasiões. Pela primeira vez eu fiquei paralisada, muda, incapaz. É nessas horas que eu fico muito grata por ter uma página como essa pra desabafar.  Se eu compro camisinha e anticoncepcional, tiram foto e riem de mim. Se eu não compro e engravido, me chamam de vadia. Se eu engravido e decido abortar, sou presa. Se eu engravido e decido ter o filho, sou burra por ser mãe solteira. Afinal, O QUE É QUE VOCÊS QUEREM? ”  Stéphanie