Cantada 461

461 –     “Fui numa balada alternativa com um amigo. Alternativa porque não era uma balada machista em que o ingresso das mulheres é bem menor que o dos homens para que a mulherada seja usada de chamariz para o público masculino. Era uma balada em que se aceitavam todos (hétero, bi, homo, trans, etc..) e por isso o preço era igualitário. Com isso, pensava que o povo fosse mais educado com as mulheres. Bem,eu pensava!  Nos primeiros minutos fui abordada por um sujeito que não achei interessante e nem atraente,ou seja, feio para mim. Ele chegou com conversa fiada no meu ouvido tentando pegar a minha cintura e eu negando qualquer investida com educação. Até porque não faz sentido ficar com alguém que não me agradou. Os amigos dele estavam do lado e perceberam que ele tava tentando me pegar. Eu não sei bem por que, mas parece que eles ficaram surpresos por ele tentar pegar alguém. Não sei se é porque a criatura não era bonita de fato e fisicamente diferente dos amigos ou o que era. Mas tive a impressão de que nenhuma mulher aceita ele, logo os amigos ficaram animados. Porém eles se animaram demais e vendo que eu queria fugir, todos ficaram em volta de mim e me cercaram! Fizeram uma rodinha pro sujeito tentar me beijar. Enquanto o tal ser tentava me pegar e eu desviar, um amigo atrás de mim dava tapas na minha bunda! Alias,mais no osso no quadril do que na bunda. Acho que já devia estar muito bêbado pra errar o alvo, mas foi o suficiente para me deixar dolorida. Quando viram que eu não queria nada mesmo, desistiram com o sujeito ainda querendo me pegar. Me afastei e vi meu amigo rindo chocado até ser agarrado do nada por um outro homem. Nós dois saímos dali correndo. Horas depois voltamos pro mesmo lugar e o cara tava lá de novo. Pegou minha mão e girou meu corpo como se quisesse dançar valsa comigo, saí dali de novo. Mais tarde retornamos e o camarada ainda se encontrava ali, porém eu fui numa direção oposta pra não topar outra vez com esse mala sem alça que não se tocou que eu não queria nada. Só porque ele é homem eu deveria aceitar? Que tipo de mentalidade é essa? Durante a festa peguei outros garotos que, diferente desse aí, foram legais na hora da abordagem e me trataram bem. Meu amigo ficou dias me zuando falando que era o ‘meu gordinho’,’o gordinho da Fulana que achava que tava seduzindo’. “