Cantada 466

466 –  “Todos os dias eu tenho pelo menos um caso de cantada de rua pra contar, infelizmente, mas hoje me deu muita vontade de escrever, inspirada nessa moça que deu um soco no nariz do pervertido que falou merda pra ela.   Sábado eu acordei cedo pra ir pra aula e estava muito quente, então saí de shorts (e nem era curto!) e camiseta. No caminho de casa até o ponto de ônibus pelo menos uns quatro homens mexeram comigo ou me olharam como se eu fosse uma lasanha saindo do forno, e eu fui ficando ‘emputecida’… Um deles (um velho, quase morrendo) falou com um outro cara enquanto eu passava: “com essa daí eu caso, se for solteira, claro!” Eu pensei: “helloo?!”. Porque um VELHO, quase morrendo de tão velho falaria algo assim pra mim?? Enfim… passei reto pois estava com pressa. 10 metros à frente, um outro VELHO nojento disse pra mim meio baixo pra ninguém escutar: “mas você é gostosinha, hein?!” . GOSTOSINHA. Gostosinha. Eu fiquei com tanto NOJO, e já estava putadavida, que eu dei um BERRO, pra todo mundo escutar e disse pra ele enquanto eu continuava meu caminho pro ponto de ônibus: “Vai tomar no cu, SEU VELHOOOOOO!”. As pessoas que passavam escutaram e olharam, algumas achando “bem feito” e outras assustadas, pois é “muito feio uma moça xingando assim”. Se alguém falasse alguma coisa, ia sobrar pra essa pessoa também. Tô cansada de andar pela rua e me sentir PELADA, porque é assim que eu me sinto. Parece que eu estou nua, e todos estão vendo meu corpo e a qualquer momento parece que vou ser atacada. Acho que esse velho ficou muito de cara, e da próxima vez vai pensar bem antes de falar merda pra alguém na rua. Ufa, desabafei.”