Cantada 492

492 – “Um caso que me ocorreu hoje; eu estava andando pelo Rio Sul (Rio de Janeiro) e eu estava olhando um vestido numa vitrine, quando para um homem ao meu lado, que falava espanhol, não sei da onde, começou a falar esquisito (gostosa/deliciosa em espanhol, pensando que eu não saberia o que era.é mais usado pra comida, mas ele se referiu a mim assim) no meu ouvido, dentre outras coisas mais. Olhei com uma cara de nojinho pra ele e ele continuou insistindo e falando ‘hermosa’, aí quando eu olhei pra ele com olhos de revolta, aí ele saiu de perto. Bem, eu não consegui gritar, nem fazer nada. Muitos estrangeiros vem pra cá afim de turismo sexual e acham que podem fazer isso com as mulheres. NADA JUSTIFICA esse tipo de agressão! Fiquei puta da vida!”
Alerta sobre a imagem da mulher na TV e na mídia – “Não sou cientista nem da área médica, mas, às vezes, eu penso e observo que, por algum motivo – provavelmente a TV -, os homens recebem um choque de manipulação mental sexual! Há muitos homens que se encaixam no perfil de maníacos, muitos mesmo!!! E alguns deles, acredito que nem têm noção das atitudes horrendas que cometem conosco. Às vezes são parentes. Um tio olhando vorazmente sua sobrinha, um padrasto que dá um ‘tapinha amigável’ na enteada… Alguns homens agem assim pra provar para eles mesmos e para a sociedade que são machos, e isso acaba meio que virando um hábito… fica automático… Mas nem sempre este comportamento parece ser algo pensado e calculado. A TV é uma arma perigosa. Há estudos que comprovam que as frequências do aparelho trabalham diretamente no subconsciente do telespectador, e há ainda aqueles famosos estudos afirmando também a menor ligação entre neurônios do cérebro masculino em comparação ao feminino (não sei se interfere, mas é algo a se pensar). E, sem querer ser preconceituosa, mas apenas fazendo uma observação, vemos muitos homens de classes menos favorecidas – que assistem muito a TV aberta e pouco leem – com este tipo de comportamento, que abusam e maltratam verbalmente ou fisicamente as mulheres no meio das ruas. Mas também há aqueles mais abastados e cultos que cometem os mesmos deslizes, mas de forma mais oculta, ‘poderosa’ e perigosa. Como a apelação machista e a visão da mulher como objeto de posse é gigantesco nas telas, o que os homens gravam na mente é exatamente isso, e assim começam a agir como zumbis sexuais. Quase sempre, o homem é o herói, voraz, carnívoro. A mulher é a princesa indefesa ou a puta insaciável, mas é sempre o ‘troféu’, ou o objeto. Óbvio que nem todos os homens agem assim, porém, vê-se uma grande quantidade deste comportamento no mundo. Mas as cervejas precisam de mulheres de biquínis, não é? Programas de humor precisam de garotas ‘burras’, obedientes e seminuas; jornais precisam de sensacionalismo… A imagem da mulher maltratada vende, lucra, e o dinheiro, infelizmente, acaba passando por cima de todos os direitos humanos… Temos um grande desafio pela frente. *De maneira alguma quero parecer preconceituosa fazendo tais comparações, mas, acreditando que precisamos pensar em todos os motivos que levam os homens a adquirir comportamentos como estes.”