Cantada 504

504 – “Alguns dias atrás, estava indo pegar o ônibus pra ir para a faculdade, era bem cedo, antes das 8hs da manhã. Tem uma mecânica na rua de casa e, há a alguns metros de lá, eu já vi três homens parados na frente, conversando. A gente sempre espera alguma coisa nessas situações, né? Enfim, naquele dia eu estava tensa, de mau humor e só pensei “é hoje que eu não aceito desaforo” e continuei andando, sabendo que eu ia passar bem do lado deles. Quando eu ainda estava há alguns metros deles, eles pararam a conversa e os três ficaram olhando pra mim, me secando, como se eu estivesse desfilando pra eles ¬¬ Eu continuei andando, sem desviar o olhar. Quando eu passei do lado deles, todos os olhos me seguiram. Foi aí que eu parei, virei de frente pra eles e falei: “Algum problema?” e fiquei esperando resposta. Eles não falaram nada. “Querem falar comigo por acaso?” e esperei, olhando pra eles. Aí, começaram a desviar o olhar a tentar retomar a conversa deles. Eu encarei eles por mais algum tempo, até perceber que estavam bem desconfortáveis com a situação. Vendo que não falariam nada na minha cara, continuei andando e eles também não falaram nada às minhas costas – o que eu estava esperando já, sabendo os covardes que são!  Já me decidi, não abaixarei a cabeça pra deixar que olhem meu corpo como um objeto. Se quiserem me olhar, vai ser olho no olho e vão lidar comigo como um SER HUMANO, que existe não pra agradar o olhar masculino.  É isso, obrigada pelo espaço!”