Cantada 525

525 –   “Olá. Há algum tempo que observo a página, desde os mil likes, quando eu tinha tempo eu lia todas as publicações, hoje em dia nem tanto, por falta de tempo, infelizmente, mas ainda assim sempre que posso venho correndo pra cá acompanhar.  Pois bem, aconteceu algo comigo recentemente e tive bastante vontade de compartilhar com vocês.  Eu sou lésbica, tenho quase 22 anos, sou uma pessoa muita na minha, detesto dá em cima de outras mulheres, acho que o contato olho no olho já é o suficiente, pois assim, também, sabemos se a outra pessoa tem algum interesse.  Entretanto, há outras lésbicas que não agem dessa forma, gritam chamando as outras mulheres de gostosas, passam a mão na bunda, falam obscenidades, mas ainda assim, são poucas em relação aos homens. Dificilmente isso acontece.  Como eu sempre vejo aqui sobre assédios de homens com mulheres, mulheres com homens, pedofilia e etc, irei contar algo um tanto diferente, esclareço com antecedência que não estou justificando as atitudes de tais pessoas, mas tenho total interesse em sabe a opinião de outras mulheres.  Eu moro com outra mulher, estou morando com ela a quase um ano. Recentemente uma menina da minha rua me adicionou no face, eu aceitei, pois gosto de aceitar pra saber o que há, o que quer.  Ela veio com um papinho, dizendo que desde quando me viu pela primeira vez se sentiu atraída, eu putz, fiquei sem reação, até porque sou um tanto distraída para essas coisas e até então nunca havia reparado na menina. Conversei mais um pouco pra saber o que ela queria, e cada vez mais fiquei chocada com tal coisa. Depois ela se despediu e disse que ia pra escola e que depois conversaríamos mais, eu nada disse. Assim que a minha esposa chegou mostrei toda a conversa a ela, ela, assim como eu, ficou perplexa com o que viu.  Eu exclui a menina do meu face, eu não queria problemas para mim, ela só tem 14 anos, nem da sétima série saiu ainda, além de eu ser TOTALMENTE contra a pedofilia, sei bem como os homossexuais são discriminados. Imaginei o que ela poderia fazer, as mentiras que poderia contar a família, então cortei logo o mal pela raíz. Mas a menina me add novamente, eu exclui, essa semana novamente me add e ainda criou um outro perfil com outra foto, e usando o apelido dela, não havia ninguém adicionado no perfil dela, ela só add a mim, exclui mais uma vez. Mas vocês perguntam: Porque não bloqueia ela? Simples, não bloqueio por que quero que ela saiba que eu não quero adicionar ela, não quero nenhum contato. Essa mesma menina, mandou uma criança, creio que a criança tem uns 8 anos de idade perguntar a minha esposa se eu estava viajando, minha esposa pirou, e perguntou alto, já que a adolescente estava perto, ” pra que você quer saber? Quem está mandando você perguntar essas coisas? Pare que isso é feio.” Imediatamente a adolescente, que mandou a criança perguntar isso, abaixou a cabeça.  Mas o pior de tudo, a menina ainda continua me perseguindo, ela toma café na rua, faz os deveres escolares na rua! Eu, sempre que passo sozinha para ir para casa e percebo que ela está na frente da casa dela, pego o celular e finjo que estou falando com alguém para que ela não fale comigo e os pais dela achem esquisito, até porque, não falo com ninguém naquela rua, muito menos com eles.  Eu estou esperando ela me adicionar no face de novo, tenho total certeza que ela fará isso, quando ela o fizer falarei algumas coisas, mas como eu disse no início tenho receio que ela invente coisas sobre mim, se ela é capaz de perseguir alguém assim, sei lá o que ela mais tem coragem de fazer!  Enfim, esse é o outro lado da moeda, uma menor de idade assediando, (nem sei se o nome que se dá é esse mesmo), uma lésbica maior de idade.  Me pergunto, e se eu fosse uma outra pessoa? Se eu fosse uma pessoa sem escrúpulos e sem caráter? O ser humano, alguns deles, carregam um monstro dentro de si, o monstro que mata, estupra, espanca… Eu só torço para que essa menina não aja dessa forma com outras pessoas, e que não aconteça nada de mal a ela.”