Cantada 538

538 – “Queria relatar um dos vários casos de assédio que sofri na rua e em especial escolhi esse pela maneira que ele me fez sentir, claro que os outros também me despertaram raiva e constrangimento, mas esse em especial mexeu comigo de uma maneira diferente. Domingo é o único dia de folga que eu tenho, e como eu estava para encarar uma semana de provas eu passei o dia estudando mas tinha prometido ver a minha vó que mora a umas 4 quadras da minha casa. Já era meio tarde quando eu sai de casa, mas como era perto eu não senti problema e sai, coloquei uma legging uma blusa de frio, um tênis e fui. No meio do caminho um cara passou com um carro preto e assoviou pra mim, pensei que ia ser mais uma daquelas cantadinhas e que ele tivesse ido embora, engano meu, ele voltou assoviou de novo e eu não dei atenção como sempre faço, finjo que não é comigo. O problema é que o cara ficou bravinho e disse “tá se achando é gordinha?” Gente, como assim? Primeiro, ele queria que no primeiro assovio eu tivesse pulado em cima do carro e arrancado minhas roupas pra ele me comer? Foi por isso que além de me assediar ele ficou bravo por eu não ter dado atenção pra ele? Não consigo explicar a raiva que fiquei, além de que eu faço tratamento há anos para compulsão alimentar e há alguns dias eu havia me estabilizado e um idiota, babaca, machista acaba com meu dia dessa maneira? Juro que se o carro tivesse mais perto e ele não tivesse ido embora, eu tinha quebrado tudo, com muito gosto.”