Me senti ameaçada, amedrontada, apavorada! – 548

548 – “Oi, queria contar um caso, dentre vários que acontecem e eu me sinto do mesmo jeito, mas nesse específico eu fiquei com muito medo!  Não me foi dita uma palavra, foi dentro de uma estação de metrô, eu estava indo pro trabalho quando um cara parou do meu lado, me olhou de cima a baixo, deu uma piscada e mordeu o lábio. Parece bobagem falando assim, coisa a toa, mas eu vi um olhar ameaçador no cara, parecia um maníaco, fiquei morrendo de medo de ele me seguir e fazer alguma coisa. Nesse momento eu vi o metrô chegando em outra plataforma, fui correndo e entrei. Tive que descer na estação seguinte pra seguir meu caminho pro trabalho. Resolvi contar isso porque perto daquele dia eu tinha ouvido de alguém que achava que cantada era elogio, que a mulher deveria se sentir super gostosa e desejada. Não. Me senti ameaçada, amedrontada, apavorada! Estou compartilhando pra ser mais uma voz a dizer que cantada não é elogio!”