Cantada 553

553 – “Um dia eu estava voltando da igreja, eram cerca de 16:00hs e estava fazendo o caminho que sempre fazia. Um carro começou a me seguir e me chamar para eu entrar no carro, eu não respondia, apenas seguia em frente pra ver se tinha alguma casa que tivesse alguém dentro pra eu gritar. A rua estava sem movimento, por isso ele continuou me seguindo e me chamando, mas chegou uma hora que eu estava na calçada e ele me fechou pra não andar mais pra frente. Eu estava sem saída, aí quando olhei pra frente vi um comércio aberto; como ele tinha cercado a minha frente e não dava para eu passar, eu fui por trás e atravessei para o outro lado correndo. Ele me viu entrando lá, mas ficou um tempo parado, parecia que estava me esperando. Mas continuei no comércio por um tempo e ele passou novamente pela rua para ver se me encontrava. A minha sorte foi o comércio aberto, senão nem estaria contando esse relato. Isso aconteceu quando eu tinha apenas 15 anos, e por ser inverno a rua estava sem movimento. Esses caras assim pensam que a gente é o quê para entrar num carro com eles, o pior que isso não aconteceu só uma vez.”    Pamella