Cantada 560

560 – “Fui fazer um lanche com minha filha de 13 anos , um senhor visivelmente bêbado começou a elogiar minha filha e eu entrei na lancheria para não me incomodar. O senhor piorou os seus comentários falando da visão maravilhosa que estava tendo através do vidro e das pernas da minha menina, fui falar com ele e o babaca me chamou de louca. Perguntei se ele já tinha apanhado de mulher e ele me disse que não, então vai ser sua primeira vez e bati nele, como ele tentou reagir, atirei uma cadeira e cima dele e sai !!!! Ele não veio atrás …” Rossana Rosa Guarani Kaiowá
Sobre a cultura do estupro “Nessa estrutura, a forma utilizada para constranger mulheres a se submeter aos homens está no controle do corpo e de sua sexualidade: deveriam ser virgens ou sexualmente recatadas, não deveriam usar determinadas roupas ou frequentar certos locais. E a punição para as que não aceitassem era a legitimação da violência por meio de hostilidade e, em casos extremos, estupro e morte. Ou seja, a cultura do estupro é o processo de constrangimento social que garante a manutenção dos papéis de gênero. Não é uma ação individual (como se todo homem odiasse mulheres), mas uma convenção social que mantém determinados papéis e estruturas sociais.”