Cantada 569

569 – Ola, não sei como definir o meu caso, mas me marcou muito, só tinha 12 anos de idade, estava muito feliz porque ia sair com minha mãe para me matricular no curso de informatica, pegamos um ônibus cheio aos poucos foi esvaziando eu sentei distante da minha mãe, me lembro de ter adormecido estava do lado da janela e minha mãe estava a 4 bancos a frente, o ônibus foi cade vez esvaziando, como disse eu adormeci, quando acordei senti a minha perna enroscada com a de alguém, fiquei com medo de olhar quem era a pessoa que estava sentada do meu lado, tomei coragem e olhei para ver quem era, eu vi que era um homem de aparência um pouco velha, a pior parte não foi ele está com uma perna enroscada na minha, foi quando eu olhei direito e notei que ele estava com seu pênis para fora com a mão nele, eu virei para o lado de novo e já não sabia o que fazer, virei pra janela e fiquei morrendo de medo de gritar a minha mãe, não tinha ninguém por perto o ônibus estava vazio, ele continuou durante uns 5 minutos, depois desceu, eu comecei a gritar e o ônibus parou, e minha mãe foi me socorrer, eu contei para ela, ela desesperada perguntava se ele tinha mexido em mim, eu dizia que não, ela me perguntou porque não gritei eu disse que fiquei com medo, hoje já tenho 18 anos e descobri no feminismo forças para lutar contra todos os tipos de opressão e violência, hoje posso contar sem medo o que me aconteceu, sem me culpar, eu era só uma criança indefesa, hoje eu ainda tenho medo de pegar no sono no buzão, mas tenho certeza que além de gritar daria um belo soco no monstro que tenta-se alguma coisa. Andreza Delgado.