Chutei o homem para fora do ônibus – 1103

1103 – Estava grávida há um mês e pouquinho. A barriga quase não aparecia. Estava indo para o trabalho nas primeiras horas da manhã. Encostada no micro-onibus lotado bem próxima de onde passam o bilhete único.

Senti uma passada de mão. Olhei para trás e não vi ninguém. Pensei “normal, o ônibus está lotado”. Então senti de novo, desta vez bem longe de ser uma “passada sem querer”. Virei para trás novamente e encostado próximo a escada do ônibus havia um homem sorrindo. Ele olhou para mim e perguntou “gostou, não?”

Não tive dúvida, o empurrei. Ele caiu na escada do ônibus. Acho que naquela hora passou pela minha cabeça que se ele revidasse iria direto na minha barriga. Segurei então nas duas colunas próximas a escada, daquelas que permitem o acesso aos deficientes e comecei a chutar. Chutei muito. Então o cobrador viu, mandou o ônibus parar e abriu a porta. Foi quando chutei o homem para fora.

O cobrador olhou para mim atônito e disse para ele que estava grávida, que aquele homem havia passado a mão em mim e perguntado se tinha gostado.

O cobrador então mandou fechar a porta, gritou uns impropérios para o tarado e me parabenizou.

Não sei o que aconteceu com o tarado. Mas não peguei mais aquela linha….