“Dá para não encostar o pinto em mim?” – 645

645 – “Ao conversar com uma amiga sobre esta página, ela relatou um caso muito interessante, e pedi permissão para colocar a história aqui. Esta minha amiga voltava para casa em um ônibus cheio, embora houvesse espaço para que as pessoas não tivessem que se espremer umas nas outras. Ela decidiu esperar para passar a catraca, e foi quando sentiu um homem encostar-se a ela por trás. Mesmo mudando de posição, o homem continuou atrás dela, claramente excitado. Passou a catraca, e o homem a seguiu.  Aí, ela se virou para ele e disse “Dá para não encostar o pinto em mim?”, e ele chamou-a de louca, e se afastou. Mas depois de um tempo, ele voltou a encoxá-la. Aí ela foi para trás dele e começou a usar uma garrafa da água para fazer o movimento de um pênis na bunda do homem, perguntando se ele gostava que fizessem isso com ele. Embora ele só tenha a xingado (e os passageiros tenham rido da situação, embora em nenhum momento agissem na defesa dela), minha amiga teve que esperar ele descer para se sentir em segurança. E jogou a garrafa fora, com nojo, e puta por não poder ir e vir em paz, por ter que passar por esse tipo de coisa.”