Ei moço! Vai ficar pelado é? – 693

Relato masculino de assédio 693 – “Só para contextualizar, sou um homem de 18 anos, que tem traços físicos e a personalidade bem delicados, um pouco femininos. Eu estava um dia num prédio da Unimed, quando eu fui num canto com menor circulação de pessoas, só para tirar a blusa de frio e amarrar na cintura, quando chegou um velho, devia ter uns 60 anos e me disse: Ei moço! Vai ficar pelado é? E eu incrédulo respondi: Não! E ele respondeu: Que pena! Umas 8 pessoas que estavam perto ouviram com certeza saí correndo, morto de vergonha. Num outro episodio meses atrás, um conhecido (com 40 e poucos anos) me chamou para jantar, pagou meu jantar, e depois me pediu para dar uma volta na praça, era de noite, quase deserto e eu não queria. Aí foi bastante tenso, suava frio de preocupação, e ele tentou me beijar, abraçar a força, e foi extremamente difícil escapar pq ele era muito forte, lógico que sai correndo de novo, se eu detalhar vai ficar muito longo isso aqui. E num 3º episodio que foi em 2011, eu estava na minha escola, 2º ano do ensino medio, conversa com alguns amigos meus, quando chegou por trás um colega de sala, que já chegou me acariciando, mexendo no meu cabelo (que era longo), sussurrando palavras de “desejo”, na frente de 5 amigos meus. E eu arrepiei, nem sabia o que fazer no fim só empurrei ele e falei: “agora não, porra” Num outro dia em 2012, estava numa viagem de ônibus Rio Preto-São Paulo, quando um desconhecido puxou conversa comigo na parada de 30 minutos que o onibus faz em São Carlos, conversamos normalmente. Quando entramos no ônibus de novo, e passou cerca de uma hora esse desconhecido vai ao banheiro, e na volta para o seu lugar, passa por mim, me dá um papel com 2 telefones e me diz: se vc precisar ficar em Rio Preto (disse que ia para a cidade uma vez por mês e ficava em hotel) que podia ficar na casa dele, era grande e confortavel e ele nao morava com a esposa. Mando esse texto só contando bem resumidamente 4 casos que me deixaram muito preocupado e envergonhado. Nunca contei isso para ninguém, porque iam achar ridículo um homem contando que sofre cantada, assedio, convites, telefones de outros homens em media a cada mês (ainda que seja pequeno). Só queria saber se algum cara (ou que vcs conheçam) já foi vitima dessas coisas. Ainda que são sejam bem leves comparado ao que é postado aqui, nós não esperamos receber isso. E acho estranho um cara dar em cima de um desconhecido, apesar de eu ser bissexual e não reagir violentamente de volta, eu poderia ser um que respondesse com violência ao maluco que me cantou.”