Ele agarrou a estudante pelo braço, e pude ver o medo no rosto dela – 746

746 – “Ontem presenciei duas cenas de assédio. Estava no ônibus quando começou a discussão entre uma menina e um cara: ela dizia “você ta louco moço! seu babaca!” e ele respondia palavras sem nexo e algo como “eu não te comi!”  O imbecil tinha passado a mão na bunda dela. Eu quis xingar, mostrar solidariedade a ela, mostrar praquele babaca que não ficaríamos caladas, mas não consegui… Acho que tive medo, mas tanta raiva também! Poucos pontos depois, sem rodar a catraca, o idiota desceu do ônibus. Continuei observando. Ele se sentou num degrau perto do ponto, e foi quando passou uma garota de uniforme. Ele agarrou a estudante pelo braço, e pude ver o medo no rosto dela. Levantei de um salto, derrubando minha bolsa no chão, e tentei abrir a janela do ônibus pra gritar alguma coisa. A janela estava travada. O imbecil soltou a menina, e meu ônibus se foi. Me senti fisicamente mal a manhã toda…”