ele disse “Que bonitinha”, e aquilo me deu um arrepio de asco – 858

858 – “Tenho um depoimento de algo recente que nem sei ao certo se foi uma cantada ou não. Eu já contei uma historia aqui com meu outro perfil relatando o abuso sofrido por conta de um Tatuador.
Sou Trans FTM, mas por problemas de saúde, decidi me manter com a aparência de mulher ( O que causa muita confusão nas pessoas). Graças a isso, muita gente não sabe que sou Trans e nem me trata no masculino. Bem, dia 28 de setembro, foi aniversario da minha mãe e eu fui a floricultura perto da minha casa comprar uma orquideácea para ela. Sempre dou uma no dia das mães e outra no aniversário, e na volta, sempre cumprimento um vizinho que é serralheiro e pai de um ex colega meu de escola. Junto com ele, geralmente esta outro homem, amigo do meu pai, a quem sempre cumprimento da mesma forma. Porem nesse dia, ele estava chegando a serralheria e me viu com as flores na mãe e o cumprimentei e ele disse “Que bonitinha”, não sei pq, aquilo me deu um arrepio de asco, eu senti de certa forma que o elogio nao era para a planta no meu colo e respondi entre os dentes me sentindo extremamente desconfortável e quase rosnando, “São para minha mãe” e ele continuou “Muito bonitinha”, e o asco aumentou. Na minha incerteza, apressei o passo e cheguei em casa tremendo de raiva e tentei me controlar para que minha mãe não percebesse ( Se bem que não tem muito jeito, ela sempre percebe TUDO) e depois que entreguei as flores a ela, acabei contando o que houve antes que ela me perguntasse. Ela ficou tão irritada que se ainda tivesse saúde e fosse mais nova, tenho certeza que ia lá arrumar briga com o cara.
Eu ia contar isso na hora do ocorrido, porem, tive outros afazeres ( E não quis mais por os pés na rua naquele dia) e só me lembrei disso na hora que li outro depoimento aqui.
Agora pergunto, isso foi mesmo um assedio, ou foi só coisa da minha cabeça? “