Ele estava ao lado da moto com o pênis de fora, balançando – Cantada 725

725 – “Faço trabalho voluntário em um campus universitário. O campus fica literalmente no meio do mato, há muitas árvores ao redor, e isso faz dele um ambiente lindo porém muito perigoso. Tinha saído do campus e ido para a parada de ônibus que fica em uma avenida grande, a redondeza toda é muito deserta, só passam carros. Estava já uns 30min esperando o ônibus, quando alguém parou de moto há uns 15 metros de mim (não tenho muita noção de distância..), estava distraída, apenas reparei que o cara desceu da moto e ficou ali, eu olhava para outra direção e não para ele. Quando virei o rosto na direção dele, para ver se meu ônibus estava vindo, eis que reparo no que ele estava fazendo ali parado. Ele estava em pé ao lado de sua moto com o pênis de fora o balançando.. Quando esse tipo de coisa acontece comigo levo um certo tempo para processar o que está acontecendo. Então eu fiquei parada olhando para ele, esperando algum ônibus aparecer. Não vinha nenhum ônibus, não tinha nenhum comércio nada por perto para eu me enfiar dentro, para voltar para o campus teria que passar por ele. Depois de um certo tempo ele subiu na moto, buzinou quando passou por mim e seguiu seu caminho. Nem sei dizer o que estava sentido, não fiquei com medo, estava com muita raiva para sentir medo. Cheguei em casa muito irritada, não consegui falar com ninguém naquele dia sobre isso e sobre nada, fiquei o resto do dia quieta. Não entendo como uma criatura dessas simplesmente achou que eu queria ou deveria ver aquela merda. Pq será que deve ser tão difícil para uma criatura dessas manter seu pênis dentro de sua calça? É tão difícil ver uma mulher, que tu nunca viu na vida, na rua e simplesmente deixá-la em paz, sem assediá-la de nenhuma forma?”