Ele parou bem do meu lado e resolveu falar comigo – 790

 

790 – “Gostaria de contar meu caso, aconteceu esses dias e realmente me fez muito muito mal.
Bem, como de costume fui pegar meu ônibus para voltar para minha casa, eram por volta das 15:30, quando um homem asqueroso parou no ponto de ônibus e meu deu bom dia. Eu tímida por natureza, olhei para baixo e e respondi oi, bem baixo, e com bastante medo. Ele parou bem do meu lado e resolveu falar comigo, eu gelada de medo olhava para baixo, totalmente sem reação. Ele fazia uns comentários nojentos, dizendo que eu era linda, que eu era uma joia (imagina esse babaca nem me conhece), depois ele perguntou se eu tinha namorado, se pretendia me casar. Eu balancei a cabeça, porque olhei rapidamente a cara de raiva dele por eu não responder; respondi e ele sorriu com uma cara muito maldosa. Eu gelei.
Uma senhora atrás de mim, resolveu me proteger enquanto o marido dela foi chamar o guarda, QUE NÃO FEZ NADA. Eu estava quase chorando de medo, foi quando o homem resolveu segurar minha mão. Na hora a senhora tirou a mão dele de mim, disse que ele era um velho asqueroso que não tinha o direito de tocar em mim; ele disse para a senhora n se meter que eu estava gostando. Oi ? Além de nojento ele deve ser maluco, eu disse que não estava gostando e que ele estava realmente me incomodando. O marido dessa senhora mandou ele sair, mas ele se recusava. Ele me olhava e dizia, ‘eu to te incomodando? Não estou nada, fala para eles’. Eu fiquei aflita, meu ônibus chegou, por sorte era o mesmo que o casal de senhores ia pegar. Eles me levaram pela mão, quando eu vi o homem indo atrás. Por sorte, já que a merda da polícia não faz nada, as pessoas no ponto de compadeceram com a minha situação e dois homens pararam na porta e não deixaram ele entrar, foi um pesadelo. No ônibus o senhor falou que chamou o guarda duas vezes, mas ele nem se importou; na segunda o senhor falou que o guarda disse que se meu vestido não fosse tão curto isso não aconteceria, o que me deu mais raiva ainda. O senhor falou que ficou chocado também, mas que não deixaria ele me fazer mal algum, que as mulheres estão totalmente desprotegidas, coisas que nós infelizmente sabemos que é verdade. Por sorte eu encontrei pessoas muito boas que se arriscaram para me ajudar, senão nem sei o quê teria acontecido comigo; pessoas que fizeram o que a polícia não faz. Isso me fez tão mal que cheguei a passar mal em casa, nem tive condições de sair dia seguinte. Fico imaginando se algo realmente acontecesse comigo, o quê a polícia iria dizer à minha família, que ficaria arrasada. Iria dizer que foi uma tragédia, seria sim, mas seria facilmente evitada se a polícia ali presente tivesse agido. Enfim, já estou melhor, e resolvi contar, caso vocês postem, para mostrar como nós mulheres estamos totalmente vulneráveis nessa sociedade que ainda trata o assédio sexual como algo normal, mas não é .”