Ele passava bem perto de mim, e sussurrava: “gostosa” – 1161

1161 – Sempre pego ônibus no terminal da minha cidade para ir até o trabalho.
Há alguns meses, no inverno, um homem (não sei se é motorista ou cobrador da empresa de ônibus Sanjotur, não consegui descobrir – era de estatura média, moreno, cabelos encaracolados) passava bem pertinho de mim e sussurrava “nossa”, “gostosa”, “gatinha”, e outras coisas e ficava me “comendo com os olhos”. Isso aconteceu umas 5 vezes ou mais, pois sempre encontrava o indivíduo no mesmo horário e ele sempre fazia questão de me perseguir. Não sabia o que fazer, não conseguia tomar atitude. Me sentia muito desconfortável… como iria reclamar, se o covarde falava baixo? Comecei apenas a encará-lo, bem séria, nas vezes que o encontrava. A gota d’água foi quando, na penúltima vez que aconteceu, ele se reuniu com outros funcionários e incitou alguns deles a assobiar enquanto eu passava; eu simplesmente coloquei meu fone de ouvido, levantei a cabeça e ignorei. Na última vez que eu o vi eu estava do outro lado do terminal (bem longe) e ele teve a audácia de ficar me olhando de cima a baixo, da distância que estávamos. Quando resolvi pedir para alguém me passar o nome dele, para eu reclamar, nunca mais consegui vê-lo. Perdi uma oportunidade.